Como a alimentação melhora ou previne a Asma | Consultório de Nutrição

written by The Cute Mommy 11 Maio, 2018

Como a alimentação melhora ou previne a Asma | Consultório de Nutrição

A asma é uma das doenças crónicas, em idade pediátrica, mais comum. Estima-se que a prevalência pediátrica em Portugal seja praticamente de 10%, podendo aumentar se tivermos em conta casos subavaliados.

É uma das doenças que mais afeta a qualidade de vida das crianças, assim como uma das que mais pesa nos custos de saúde das famílias.

Se a esta patologia somarmos outras associadas como a sinusite ou rinite, o cenário é bem pior e a necessitar de intervenção.

Pode a alimentação aliviar ou agravar sintomatologia destas doenças?

Pode e logo desde a nascença.

  1. Aamamentaçãoajuda na prevenção de doenças respiratórias e por isso, um efeito protetor a este nível.
  2. obesidaderelaciona-se também com a asma, não só como fator desencadeador desta, mas também na dificuldade adicional que cria em controlá-la.
  3. Há alimentos e padrões alimentaresque potenciam ou diminuem a sintomatologia.
  4. Oexercício físicotem também um efeito protetor.

Vejamos um a um estes 3 fatores.

A amamentação reduz de forma significativa as pieirase, por isso, melhora o sono nos bebés, muito mais, quando se trata de filhos de mães asmáticas. Por esta via, a promoção do aleitamento materno, como preconizado pela Organização Mundial da Saúde de pelo menos 6 meses, é relevante para várias coisas, esta é uma delas.

A obesidade é uma das causas que é avançada para o aumento da prevalência e incidência da asma. Promove alterações mecânicas na fisiologia pulmonar e por isso, pode agravar a asma ou dar origem a novos casos.

Por este motivo, se o seu filho é asmático, ou mesmo não sendo, tem familiares que sejam, uma forma de o manter controlado ou de reduzir, por pouco que seja, o risco de vir a desenvolver esta patologia, é manter o peso dela(e) vigiado. Esforce-se para que não o altere muito ou que mantenha um desenvolvimento equilibrado quando se relaciona a estatura e o peso, ou que em idades adolescentes o Índice Massa Corporal se situe no Peso Saudável definido pela Organização Mundial da Saúde, ou seja, dividindo o peso em quilogramas pela altura ao quadrado em centímetros, não seja superior a 24,9.

Ainda relativo a esta questão, alguns estudos referem que, mais importante que o peso é o estilo de vida, ou seja, uma alimentação saudável e um estilo de vida ativo.

Quanto à alimentaçãoque um asmático deve adotar, em traços gerais, necessitade todas aquelas que são as características nutricionais da preconizada Alimentação Mediterrânica. Esta deve ser rica em ómegas 3, peixe, antioxidantes e outros nutrientes como folato, colina e vitamina B12.

Para um asmático é muito importante a distinção entre ómegas 3, devem ser promovidos e ómegas 6, a evitar. Estamos a falar de gorduras, ambas insaturadas e por isso mais saudáveis, contudo, enquanto as primeiras têm uma forte componente anti-inflamatória, as segundas têm um efeito contrário. Eis o motivo pelo qual o peixe deve ser aumentado, principalmente o peixe gordo, a introdução de sementes (linhaça e chia, por exemplo) deve ser promovida e ainda preferir as nozes dentro de todos os frutos secos.

Uma alimentação que inclua alimentos anti-inflamatóriose ricos em anti-oxidantes tem obrigatoriamente de ser uma alimentação que seja rica em fruta fresca, em hortícolas e bastante coloridos, em oleaginosas como a noz, em peixes gordos como salmão, cavala ou sardinha.

Por outro lado, alimentos ricos em gordura e de uma forma genérica uma alimentação designada de fast-food, tem um efeito contrário, aumenta as inflamaçõesdas vias respiratórias e por isso, deve despromovida na população em geral, num asmático, idealmente reduzida a zero ocasiões. Como vivemos no mundo real, é-me descabido recomendar isto e por isso, indico-lhe que a deve reduzir o mais possível. Se o seu filho comer 1 vez a cada 3 meses é ótimo, se for 1 vez a cada 6 meses melhor ainda, e por aí em diante.

Por último, a promoção do exercício em crianças não asmáticas ou com risco hereditário pode ser bastante relevantepara não desenvolver a patologia, ou a atrasar o mais possível, ou ainda, para que, mesmo que a tenha desenvolvido, a mantenha controlada e com isso menor necessidade de medicação.

Até ao próximo post,

Nuno Palas – Instituto Médico Privado

Comments

You may also like

Leave a Comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.