Tem filhos pequenos? Não quero assustar, mas a praia já está aí ou está para chegar… Nesta altura, já sabe que não basta pegar na toalha, na carteira e nos óculos de sol para passar um bom dia de praia. Com filhos, tudo se complica, mas o dia é igualmente ou até melhor passado.
A logística não é fácil e a alimentar não fica atrás. Sozinhos, sem filhos, basta pegar na carteira e ir ao bar da praia ou ao café mais próximo. Vai-se almoçar onde dá ou o dinheiro permite.
Este cenário, com filhos, fica diferente, bem menos simples, bem mais confuso, mas de encher o coração ao final do dia.
Em férias, a sua alimentação, muito menos a do seu filho, deve alterar de forma significativa, mesmo que existam alimentos que, face ao extraordinário da altura do ano, possam ser incluídos. Explique-lhe isso devidamente. Desta forma, conseguirá umas férias mais relaxadas, com menos stress e com uma ação de educação alimentar.
No entanto, tem de continuar a ter cuidados porque os seus filhos assim o exigem e porque a educação alimentar é um ato contínuo e, não me canso de o referir, sempre com base no exemplo. Nem em férias se esqueça que os seus filhos, muito provavelmente, em adultos, não comerão o que lhes disser que eles têm de comer, comerão o que o virem comer.

Que cuidados e/ou alimentos não deve esquecer:

1. Água – não pode deixar de oferecer, constantemente, água ao seu filho, com exceção daqueles que ainda amamentam. O calor aumenta as perdas de água e, por isso, tem de repor em maior quantidade. A piscina e a água do mar também o exigirão;

2. Fruta – um alimento fundamental por 2 motivos. O primeiro, é porque são alimentos também eles ricos em água e, em segundo lugar, pelo facto de ser normal alterar a alimentação e desequilibra-la, aumentando a quantidade de gorduras e açúcares. A quantidade de fibra que a fruta contém pode ser importante para manter algum equilíbrio. Ofereça fruta entre refeições, leve para a piscina e/ou para a praia. Atenção que na quantidade de fibra, a fruta não é o mesmo que sumo.

3. Respeite as refeições. Continue a comer várias vezes e a garantir-lhe os diversos lanches. Opte por fruta, iogurte, bolachas ou tostas integrais, pão escuro, polpas de fruta (nestas circunstâncias dão imenso jeito), leite simples, pipocas simples (sem sal e açúcar), etc;

4. Comece o dia com o pequeno-almoço. Ninguém pode sair de casa ou do hotel sem comer a primeira refeição do dia. Idealmente deve conter fruta, um produto lácteo e um produto à base de cereais;

5. Deve ter cuidado com alimentos como iogurtes, queijos frescos, maioneses, bolas de Berlim, etc. O calor acelera o processo de deterioração estes alimentos, por isso, se suspeitar que podem estar adulterados não dê ao seu filho, ou se não sentir confiança no local onde os está a consumir também evite-os;

6. Se as férias são na praia, aproveite o facto de mais gente comer peixe, de os restaurantes terem mais peixe, de cheirar mais a peixe na rua, para oferecer mais peixe ao seu filho.
Passe umas boas férias, desfrute da companhia da sua família, faça os seus filhos felizes e, acima de tudo, no que à alimentação diz respeito, permita que seja um período de tempo diferente do restante ano, mas mantendo as regras básicas.

Até ao próximo post,

Nuno Palas

Comments

Comments

Leave a Comment