O meu filho é esquisito a comer, ou serei eu? | Consultório de Nutrição

written by The Cute Mommy 9 Março, 2018

Crianças que desde cedo variam a alimentação e os alimentos, tenderão a ser menos esquisitas nas escolhas alimentares e com uma melhor relação com os alimentos.

Se isto era algo que se supunha, agora é confirmado num estudo do Instituto de Saúde Pública da Universidade do Porto. Foram seguidas perto de 5000 crianças, avaliadas aos 4 e aos 7 anos de idade.

Quando me refiro a que as crianças variam a alimentação e os alimentos, é óbvio que este papel é desempenhado pelos pais e não por elas. Uma vez mais se confirma o papel do pai e/ou da mãe na educação alimentar.

O meu filho é esquisito a comer, ou serei eu? | Consultório de Nutrição

Isto remete-me ao título do post, ou seja, quando disser a alguém que o seu filho/a não gosta ou não come isto ou daquilo, pare para pensar o seguinte:

  1. Depois da primeira má experiência que o seu filho/a teve com o ou os ditos alimentos, quantas vezes mais lhe voltou a oferecer, incentivando a sua ingestão?
  2. Ou ainda, até lhe pode voltar a oferecer esses alimentos, mas, quantas vezes não o faz antecedido das seguintes expressões: “Vê lá se gostas?”; “se calhar não vais gostar”; “da última vez não comestes”; “Se não quiseres não comas”…
  3. E por último, quem realmente não gosta deles? Muitas vezes reparo, nas consultas, que já não fazem parte das preferências dos pais e por isso, os filhos nem têm a verdadeira oportunidade de os experimentar.

A sua influência enquanto mãe ou pai é enorme, mesmo que não a note. Tente sempre não condicionar o momento de prova de um novo alimento e, mesmo que se note que não está a ser bom para a criança, não baixe os braços, incentive, mostre que também o come, misture, cozinhe de outra forma, etc.. Todos os alimentos são importantes, por isso não abdique de nenhum.

Outro fator importante para que as crianças tenham uma alimentação diversificada, é torna-la parte ativa na confeção das refeições e dos alimentos (há sustentação científica desta prática). Elas não fogem à regra, gostam mais facilmente de alimentos que ajudaram a preparar ou que fizeram integralmente com ou sem ajuda.

Alguns estudos concluem mesmo que esta é uma ótima forma de promover a introdução de legumes e frutas. Lavá-los e cortá-los, muitas vezes, é o suficiente para ser o indutor da prova e da sua introdução prazerosa.

O meu filho é esquisito a comer, ou serei eu? | Consultório de Nutrição

Outros programas, igualmente com sucesso, vão um pouco mais longe, começam logo na plantação dos legumes. Contudo, nem todas as escolas estão preparadas para isso e a vida nas cidades também não o permite. Mas, como vimos, parece não ser necessário!

Para terminar este post, lembre-se sempre de manter a alimentação simples, não precisamos de complicar. Se quer que o seu filho faça uma alimentação saudável, não precisa de ir comprar o último grito alimentar que vem do Perú ou da China, bastam estas pequenas coisas. Tenho a certeza que se incentivar o seu filho a comer mais alimentos, ele fará uma alimentação mais saudável, mais rica em vitaminas e minerais e construirá hábitos alimentares melhores e duradouros.

 

Até ao próximo post,

Nuno Palas – Instituto Médico privado

 

Comments

You may also like

Leave a Comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.