Palmadas na educação, porque não! Consultório de Psicologia

written by The Cute Mommy 26 Agosto, 2016

Palmadas na educação, porque não! Consultório de Psicologia

Frequentemente assisto a comentários do tipo “uma palmada na altura certa não faz mal nenhum, eu também levei quando era pequena/o e estou aqui!”. Pois, desde logo remato estas afirmações com “existe a educação que se conquista pelo medo, e a educação que se conquista pelo respeito”. O problema da palmada, é que esta nunca vem só! Vem acompanhada de mais palmadas ou até surras, sentimentos de revolta para consigo e para com os pais, baixa auto-estima, insegurança, lembranças negativas para a vida, carregada de uma conotação negativa de que os problemas resolvem-se com agressão física, não são orientadas para a ação desejada, e aprendem a reconhecer os limites apenas com a palmada.

É importante ficar claro que, a única coisa que a palmada ensina é mau, não vai ensinar nada positivo e apenas vai parar/travar um comportamento devido à dor física e psicológica.

Palmadas na educação, porque não! Consultório de Psicologia

Surge uma outra questão, em que é posto em causa a questão de respeito pelo outro e sensibilidade para com os mais frágeis. Então, se uma criança é batida pelo adulto, não está a ser violentada por alguém bem mais forte que ela? Qual é a oportunidade da criança se defender perante um adulto? Terá uma criança maturidade intelectual, emocional e física similar á do adulto? Quem é maior pode bater nos mais fracos? Parece-me que todo aquele trabalho moral que se tenta passar às crianças de respeito pelo próximo e maior sensibilidade às fragilidades das pessoas (idosos, crianças, deficiências, …) fica, automaticamente, anulado perante estas atitudes dos adultos.

Preocupo-me sempre em transmitir que impor limites, não é sinónimo de chatice, podemos educar com carinho, mas é necessário assumir uma postura sem nunca esquecer da seguinte formula (PCP) e dispensar as palmadas:

Persistente (P)– repetir a ordem/limite quantas vezes for necessárias hoje, amanhã e depois;

Consistente (C)– ser firme e perseverante.

Previsibilidade (P)– manter uma rotina dá estabilidade (“o que é hoje, amanhã é igual).

E, sim pais! As crianças não aprendem á primeira chamada de atenção, nem sempre prestam atenção ao que lhes é dito e não acertam á primeira, e errar faz parte do desenvolvimento. É como aprender a andar de bicicleta, primeiro começa com as rodinhas suplentes que os amparam das quedas (como os pais a orientarem as suas ações), para mais tarde, com mais confiança tirarem as rodas e aventurarem-se sozinhos. Na educação, os pais funcionam como as “rodinhas da bicicleta”, amparam e orientam o seu caminho.

Os limites são estabelecidos pelos pais, em casa. Na escola aprendem a Matemática, o Português, … e recebem um apoio extra na educação.

Não vou dizer que não possa levantar o seu tom de voz para se impor, pode sim! Quando os filhos são mesmo muito teimosos, podem e devem recorrer a um tom de voz mais autoritário, mas sem gritar, apenas com um tom de voz firme e forte. Os pais devem estar seguros das suas decisões e em acordo, caso contrário, não discutir divergências de educação á frente dos miúdos.

Palmadas na educação, porque não! Consultório de Psicologia

É importante boas conversas entre pais e filhos, face a face, informando e mostrando os seus erros, as soluções, os comportamentos esperados e deixá-los perceber as consequências das suas ações. Se forem obedientes beneficiam com as suas ações (e.g. uso de recompensas de acordo com as suas motivações), se forem desobedientes, são penalizados (e.g. perda de um brinquedo/regalia, não ver TV, privá-la de uma brincadeira ou de uma situação social) e, eles próprios, deverão arranjar a resposta adequada para corrigir o seu erro (e.g. pedir desculpas e arranjar soluções para o erro).

Uma relação saudável é alimentada de gestos carinhosos, atitudes positivas, demonstrações de amor, abraços, beijos e afetividade que transmita segurança. São estas atitudes que se guardam no coração e os torna respeitosos e obedientes.

Palmadas na educação, porque não! Consultório de Psicologia

Espero que tenham gostado

Até breve

Núria Silva

 

 

 

 

Comments

You may also like

Leave a Comment

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.